Diferentes formas, tipos e cores de açúcares dispostos em colheres de madeira.

Açúcar ou Adoçante: saiba tudo sobre o produto

Segundo a Organização Mundial da Saúde, estima-se que os brasileiros consomem cerca de 30kg de açúcar ao ano, o que é bem superior a quantia recomendada de 18,2kg. Esses dados apontam um consumo desequilibrado por este carboidrato tão presente em nossa rotina alimentar, tanto no uso de açúcar quanto de adoçante.

Isso porque, além de incluirmos o açúcar ou o adoçante em nosso cafezinho, eles existem nos próprios alimentos e em sua composição. O nosso corpo precisa de glicose. O grande problema são os exageros.

Mas antes de continuar, vamos entender melhor o que é cada um deles.

O que é o açúcar?

Este é o nome popular dado para carboidratos cristalizados comestíveis que apresentam sabor adocicado. Na maioria das vezes, sua composição é originaria da Índia e ele é utilizado no preparo de diversas receitas.

Deste os primórdios, ainda na Antiguidade, o açúcar era muito buscado e chegou a ser considerado um artigo de luxo. A cana-de-açúcar indiana, matéria prima do açúcar para todo o mundo, começou a ser comercializada ainda por navegantes.

Com o tempo, o açúcar se tornou artificial e está escondido em muitos alimentos industrializados como conservante, inclusive em linhas salgadas. Além disso, a medicina descobriu diversas patologias causadas tanto pela carência como pelo excesso deste carboidrato.

Os diferentes tipos de açúcar

Existem diversas apresentações de açúcar e cada uma delas passou por um processo de preparo diferente. Hoje, diversas pessoas buscam um açúcar cada vez menos processado e refinado, que possa conter ainda os nutrientes extraídos da cana.

Em nosso post, onde identificamos os diferentes tipos de açúcar explicamos melhor como cada um é obtido e inclusive qual deles é o melhor para a saúde, sendo menos processado e com mais aditivos em sua fórmula.

Açúcar vicia?

Homem com blusa branca e uma das mãos no queixo aparentando dúvida observando e segurando um prato cheio de guloseimas.

O consumo de doces proporciona um bem-estar pois o açúcar chega rapidamente à corrente sanguínea e aumenta os níveis de serotonina e dopamina, que são mensageiros químicos que dão sensação de recompensa e prazer.

O feito do açúcar no organismo pode causar uma dependência bem diferente das drogas, mas é possível que haja uma compulsão alimentar. Esses sintomas do possível vício podem ser apresentados por um mal humor ou desequilíbrio pela falta do composto.

Os malefícios do açúcar

Que o consumo excessivo de açúcar faz mal para saúde, todo mundo já sabe. Mas além de causar aumento de peso e diabetes, que são os malefícios mais conhecidos, existem outros danos que esta ingestão pode causar para saúde, como as citadas abaixo:

  1. Cáries nos dentes
  2. Obesidade
  3. Diabetes
  4. Gordura no fígado
  5. Colesterol elevado
  6. Diversos tipos de Câncer
  7. Gastrite e males intestinais
  8. Pressão alta
  9. Gota
  10. Prisão de ventre
  11. Danos na memória
  12. Miopia
  13. Trombose
  14. Acne e enrijecimento da barreira cutânea

O que é o adoçante?

O adoçante ficou muito popular por ser uma substância para adoçar os alimentos, utilizada em menor qualidade para agredir menos a saúde. Mas, será que o adoçante é saudável assim? Afinal, o que é o adoçante?

Também conhecido como edulcorante, o adoçante possui baixo ou inexistente valor energético e tem por objetivo proporcionar aos alimentos um gosto doce. Existem diversos tipos e eles podem ser naturais ou artificiais.

Adoçantes Naturais

Extraídos diretamente de plantas ou produzidos por via biotecnológica, temos os descritos abaixo.

Sorbitol

É o açúcar extraído de algas marinhas e possui um poder adoçante 50% maior do que a sacarose, que é o açúcar convencional. Seu uso é buscado para adoçar geleias, biscoitos, gomas de mascar, balas e refrigerantes.

Stévia

Conhecido como esteviosídeo, este adoçante natural é removido de uma planta da América do Sul chamada stevia rebaudiana. Estudos comprovam que ele adoça até 200 vezes mais do que o açúcar comum e por isso é buscado para receitas que vão a elevadas temperaturas.  Além disso, a Stévia é livre de calorias e carboidratos.

Agave

De baixo índice glicêmico, este adoçante natural é retirado de uma planta mexicana. Seu uso não causa picos de açúcar no sangue e seu poder adoçante é maior do que o açúcar convencional. Infelizmente, os processos industriais da Agave têm destruído suas propriedades, portanto é importante buscá-lo puro.

Mel puro

Colher de mel sobre um pote aberto contendo o alimento.

Além de ser um dos adoçantes mais conhecidos, o mel possui apenas 64 calorias e sua composição é rica em antioxidantes, ferro, zinco, vitamina B2 e B6, entre outros. Portanto, além de adoçar, o mel faz muito bem para saúde. Assim como o adoçante citado acima, é importante que o mel puro seja buscado, pois os industrializados podem conter aditivos que prejudicam a saúde.

Xarope de Ácer

Nativo da América do Norte, o xarope de ácer é extraído a partir da perfuração da seiva. Rico em antioxidantes benéficos para saúde, este é um dos mais naturais e sua composição é rica em zinco, cálcio, potássio e principalmente manganês.

Xilitol

Proveniente do álcool, o xilitol adoça de maneira similar ao açúcar tradicional e seu uso não causa aumento dos níveis de glicose no sangue. Além disso, estudos apontam que ele ajuda a diminuir os riscos de cáries e osteoporose.

Eritritol

O eritritol tem ficado muito conhecido e tem sido muito utilizado em dietas.  Sua composição apresenta apelas 0,24 calorias por grama, enquanto o açúcar tem 4 e adoça o que corresponde a 70% de doçura. Aceito por muitas pessoas, este adoçante é obtido quando um tipo de levedura fermenta a glicose.

Atenção: Nem todos os adoçantes naturais podem ser utilizados por todas as pessoas. Os diabéticos, por exemplo, devem buscar um médico para que a partir de exames seja identificado a melhor forma de adoçar os alimentos para eles.

Confira dicas para manter as unhas saudáveis

Do tradicional ao amargo, os Benefícios do Chocolate

Afinal, por que não pode Glúten?

Adoçantes Artificiais

São produzidos através de processos industriais específicos, como os descritos abaixo:

Sacarina

Considerada 200 vezes mais doce que a sacarose, a sacarina é uma substância artificial derivada do petróleo que é muito utilizada para produção de produtos de baixo valor energético, como refrigerantes. Seu consumo deixa um leve sabor amargo na boca.

Ciclamato de Sódio

Descoberto em 1937, este adoçante é utilizado em produtos artificiais sem calorias e adoça 30 vezes mais do que a sacarose. Além disso, é utilizado na fabricação de bebidas e remédios por ser estável em altas temperaturas.

Aspartame

Cerca de 180 vezes mais doce que a sacarose, este é o adoçante mais utilizado dos últimos tempos. Sua composição é utilizada na fabricação de milhares de produtos, inclusive fármacos como vitaminas, gomas de mascar e iogurtes, além de ser o mais famoso dos adoçantes de mesa.

Neotame

Considerado o adoçante artificial mais potente, ele adoça 8 mil vezes mais que a sacarose. Seu sabor se assemelha muito com o açúcar comum e seu uso é muito buscado em linhas diet.

Afinal, açúcar ou adoçante?

O mais indicado pelos nutricionistas é que o gosto real dos alimentos seja sentido, para que o paladar se acostume com o real sabor que cada ingrediente tem. Porém, caso haja necessidade de adoçar, é sempre mais interessante buscar adoçantes de origem natural e equilíbrio.

O açúcar de coco e o mel, por exemplo, apresentam diversas propriedades benéficas para a saúde e podem ser utilizados em diversas receitas. Não deixe de consultar o seu médico e/ou nutricionista e questioná-lo sobre as melhores opções para sua saúde.

DNE Tem!

Aqui na Drogaria Nova Esperança temos diversos tipos de adoçantes que pode ajudar sua adaptação alimentar, inclusive mel 100% natural. Entre agora mesmo em nosso site e confira!