Laço amarelo e o nome da campanha "Julho Amarelo".

Julho Amarelo: Todos contra as Hepatites

Julho Amarelo traz consigo uma campanha necessária de conscientização e alerta com as hepatites virais. Em janeiro de 2019, a Lei 13.802 foi decreta com o intuito de potencializar este cuidado, visto que o número de portadores de hepatite no Brasil aumenta a cada ano. Números apontados pelo Ministério da Saúde afirmam que a doença já matou cerca de 1,7 milhões de pessoas em todo o mundo.

A hepatite é uma inflamação grave do fígado e pode ser transmitida pela água e alimentos contaminados, além da via sexual e fluidos corporais através do compartilhamento de coisas como barbeadores, alicates e utensílios de manicure. Os usuários de drogas também podem ser facilmente contaminados e verticalmente, da mãe para o filho. Com isso, fica claro que a contaminação é comum, fácil e rápida.

Já a sua forma mais eficaz de prevenção é a vacina, mas ela existe para as hepatites A e B, sendo que esta última também protege contra a hepatite D. A hepatite C tem uma estimativa de cura superior a 90% quando descoberta e tratada rapidamente. Esse alerta de cuidado é essencial pois há uma grande dificuldade de diagnósticos para a doença. Os mais conhecidos são os olhos amarelados, febre, cansaço, tontura e mal-estar.

Por fim, a campanha traz consigo a cor amarela, lembrando do principal sintoma. E assim, alerta a necessidade de cuidados e prevenção como o uso de preservativos, o não compartilhamento de agulhas e seringas e a exigência de materiais descartáveis e esterilizados em estúdios de tatuagem e salões de beleza. Manter exames de rotina em dia e consultar um médico frequentemente, também é uma forma de combate à hepatite. Por isso, consideraram como Julho o mês ideal para a conscientização.