Duas mãos encostando na outra em um formato de coração.

Tudo o que você precisa saber sobre a Doação de Sangue

O ato de doar sangue à outra pessoa é uma das ações mais nobres realizadas pelo ser humano. A prática de transferir a outro corpo iniciou-se em meados do século XVII, quando eram feitas transfusões heterólogas, utilizando sangue de animais. Os primeiros registros foram escritos à base das experiências feitas por Jean Baptiste Denis, o médico do rei Luis XIV, em Paris. O doutor argumentava que o plasma dos animais era puro e livre de vícios e paixões, ao contrário dos seres humanos. Mesmo a prática sendo proibida, os estudos avançaram com os animais, adaptando para a transfusão homóloga (animais da mesma espécie) e, chegando à técnica chamada de “braço a braço” que conhecemos e utilizamos até hoje.

A importância de doar sangue

No Brasil, existe um dia Nacional, incluída no dia 14 de junho, para conscientizar e divulgar tal pratica. Além, é claro, da data mundial, representada em 25 de novembro.

Por ser essencial no funcionamento do corpo e de seu sistema imunológico, o sangue é indispensável para a vida do ser humano. Também chamado de plasma, o líquido realiza a passagem de nutrientes, dos hormônios, além de ser essencial na defesa, imunidade e no desempenho correto do organismo.

Entretanto, em casos específicos onde há uma perda considerável do elemento ou uma necessidade grande durante procedimentos cirúrgicos, a sua obtenção deve ser a mais rápida possível e, para isso, são utilizados os bancos de sangue.

Separados por diferentes tipos, a quantidade padrão de sangue doado por um único doador, pode ajudar até quatro pessoas diferentes. E, após ter cedido, o organismo do doador é capaz de repor essa quantidade em um só dia.

Tipo sanguíneo

Mesmo doando seu sangue para qualquer pessoa que necessita em um hospital, este sangue coletado não pode ser aplicado em qualquer paciente. E por isso, foram definidos os tipos sanguíneos.

Constatado por volta de 1900, o imunologista austríaco Karl Landsteiner em seus estudos feitos na época, observou que o sangue de uma pessoa coagulava ao ser misturada com outra. Assim, sendo iniciando o processo de descoberta do sistema de grupo sanguíneo ABO.

Por isso, abaixo você confere como funciona a troca de sangue entre os tipos definidos:

Sangue tipo A+: pode doar para AB+ e A+; pode receber de A+, A-, O+ e O-.
Sangue tipo A-: pode doar para A+, A-, AB+ e AB-; pode receber de A- e O-.
Sangue tipo B+: pode doar para B+ e AB+; pode receber de B+, B-, O+ e O-.
Sangue tipo B-: pode doar para B+, B-, AB+ e AB-; pode receber de B- e O-.
Sangue tipo AB+: pode doar para AB+; pode receber de todos os tipos.
Sangue tipo AB-: pode doar para AB+ e AB-; pode receber de A-, B-, O- e AB-.
Sangue tipo O+: pode doar para A+, B+, O+ e AB+; pode receber de O+ e O-.
Sangue tipo O-: pode doar para todos; pode receber de O-.

Além deste grupo já conhecido, temos o grupo sanguíneo Rh. Responsável por preencher cerca de 85% das pessoas, o Rh pode estar presente nas hemácias, assim sendo denominado como Rh+ (positivo). Quem não possui a substância é chamada de Rh- (negativa).

Critérios para doar sangue

Mesmo sendo uma atitude louvável em que muitas pessoas poderiam realizar, a transfusão de sangue não pode ser efetuada por qualquer pessoa de qualquer idade. Por isso, ela deve ser feita seguindo alguns requisitos específicos, tais como:

– Ter uma boa saúde;

– Idade entre 16 e 69 anos;

– Peso acima de 50 kg;

– Estar alimentado, evitando refeições gordurosas 3 horas antes do procedimento;

– Ter dormido cerca de 6 horas nas últimas 24 horas.

Há casos de pacientes que não podem efetuar a doação por outros impedimentos definitivos, como:

– Uso de drogas ilícitas injetáveis;

– Malária;

– Quadro de hepatite após os 11 anos de idade;

– Ter DST, tais como AIDS, doença de Chagas, hepatites B e C e doenças associadas aos vírus HTLV I e II.

Mesmo atendendo a todos os requisitos que possibilitam e impossibilitam a efetuação da transfusão, segundo o Ministério da Saúde, existem alguns impedimentos temporários que retardam a doação imediata de tais pacientes, que devem aguardar tempos específicos, como:

– 1 ano após a doação anterior;

– Gestantes;

– Caso esteja amamentando, deve-se aguardar 12 meses após o parto;

– Aguardar 7 dias após o desaparecimento dos sintomas de gripe, febre e resfriado;

– Causas como apendicite, hérnia, amigdalectomia e varizes devem aguardar 3 meses;

– 12 horas após o consumo de bebidas alcoólicas;

– 12 meses após a realização de tatuagens e piercings;

– 72 horas após extração dentária;

– Em casos de colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia, aguarde 6 meses;

– Procedimentos em que foi usado o endoscópio: 6 meses.

Ácido Hialurônico: o que é, tipos e benefícios

Vai um chazinho? Saiba tudo sobre essa especiaria

Coronavírus: saiba como se prevenir desse mal invisível

Como doar sangue?

Tais processos são procedidos em Hemocentros (especializados em hematologia) específicos dispostos por todo o país, assim você deve conferir o mais próximo da sua localização.

Assim, ao chegar no lugar adequado, antes de disponibilizar seu plasma para a fundação, são destinados alguns procedimentos para saber se você pode ou é capaz de realizar tal ato. Chamada de triagem e separada por etapas, caso seja sua primeira transfusão sanguínea, você deve criar um cadastro com seus dados básicos, apresentando um documento oficial com foto. Logo em seguida, são medidos aspectos físicos de seu corpo, tais como pressão arterial, temperatura e peso. Um pouco antes da última etapa, é praticada uma entrevista para saber se o doador passou por situações nas quais pode ter sido contaminado. Por fim, na última triagem antes da transfusão, são efetuados procedimentos laboratoriais para saber se o sangue está em condições de doação.

Geralmente, antes do processo, são oferecidos pequenos lanches para diminuir os riscos de complicações durante. Assim, após a limpeza dos braços com água e sabão, é feita a punção em um dos membros com a agulha, colhendo cerca de 450 mL num período de 7 a 10 minutos.

Agulha utilizada

Feito com uma materiais esterilizados e descartáveis, proporcionando segurança e nenhum risco de contaminação ao doador, geralmente a agulha usada é maior que as comuns aplicadas em vacinas, possuindo um corte especial a laser para que o processo doa o menos possível.

Dúvidas Gerais

Médico com jaleco e óculos aparentando estar com dúvidas.

Geralmente em casos especiais, torna-se normal o surgimento de diversas dúvidas acerca da possibilidade de realizar o procedimento. Por isso, vamos tirar as suas perguntas de forma fácil. Abaixo as mais pertinentes sobre o assunto:

Quando doar novamente? De quanto em quanto tempo posso doar?

Os homens devem realizar intervalos de 2 em 2 meses entre as transfusões. Já as mulheres devem aguardar 3 meses após a doação.

Com quantos anos pode doar sangue?

A idade inicial permitida é de 16 anos. Entretanto, em crianças menores de idade, é necessário que apresente um consentimento do responsável.

Qual o peso ideal para doação?

Não há um peso ideal para doadores de sangue, sendo o mínimo aceitável maior que 50kg.

Quem tem tatuagem, pode doar sangue?

Assim como mencionado acima, quem tem tatuagem e realizou-a há pouco tempo, deve aguardar um período aproximado de 1 ano (12 meses) para realizar a doação.

E quem tem herpes, pode?

Pacientes que sofreram em algum momento com herpes zóster, só devem realizar o processo após 6 meses de estarem curado da patologia. Em casos de herpes labial ou genital, deve-se doar após sumir os sintomas.

Se eu fumo, posso?

Pode sim, mas o recomendado pelos médicos é que chegue ao local sem fumar por, pelo menos, duas horas.

Caso tenha diabetes, posso doar?

Se estiver controlando-a com alimentação adequada ou hipoglicemiantes orais, pode sim. Porém, caso tenha utilizado insulina alguma vez, a doação torna-se inválida.

Pode doar sangue menstruada?

Sim, a menstruação não compromete o procedimento de doação, assim não causa problema algum.

Grávida pode?

Durante a gravidez não pode. Em casos de parto normal, a mulher pode doar após 3 meses do procedimento. Caso tenha sido realizado cesariana, o tempo aumenta para 6 meses.

Mães que amamentam podem doar?

Sim, porém devem aguardar 12 meses após o parto.

Conclusão

Pois bem, após ler e se informar mais sobre o processo de doação de sangue, nós da Drogaria Nova Esperança disponibilizamos o e-mail “redacao@drogarianovaesperanca.com.br” para que você possa retirar alguma dúvida que não listamos acima. E por fim, novamente destacamos a importância de realizar a sua doação que pode salvar muitas vidas necessitadas.