As diferenças de comprimidos, cápsulas e drágeas

Fundo branco. Mãos segurando um punhado de comprimidos, cápsulas e drágeas.
Existem diversos tipos de comprimidos e cápsulas. Cabe ao paciente, com orientações médicas, saber qual utilizar.

Você sabe as diferenças de comprimidos, cápsulas e drágeas?

Por via oral, com água, na hora do almoço ou antes de deitar: Quem já foi medicado sabe quanta atenção deve ser dada na hora de administrar certos tipos de medicamentos, principalmente quando são comprimidos.

Embora venha com uma bula, muitas vezes os formatos e colorações destes passam despercebidos pela maioria, escondendo diferenças e informações essenciais para a qualidade de vida. Por isso, em nosso outro post, você se informa sobre todo o conteúdo das bulas.

Visando esclarecer as diferenças entre cápsulas, drágeas e dos famosos comprimidos, A Drogaria Nova Esperança vai te ajudar a destacar alguns detalhes que irão ajudá-lo na hora de ingerir boa parte dos remédios, colaborando para um tratamento seguro, e claro, saudável.

Tipos de comprimidos

Mãos femininas, aparentando ser de uma pessoa com idade avançada, segurando em uma mão um copo transparente com água, e na outra um comprimido, branco e pequeno.

Entre os tipos de comprimidos, podemos citar: os de liberação prolongada, revestidos, pastilhas e efervescentes.

Decerto, para muitas pessoas, só existe um tipo de comprimido, o que é um equívoco por conta  das unidades medicamentosas possuírem detalhes perceptíveis e objetivos à medida que não são por acaso, já que foram desenvolvidas para agirem em locais específicos do corpo, evitando reações adversas, em outras palavras, que possam comprometer ainda mais a saúde, como mostrado a seguir.

Comprimidos

Os comprimidos tradicionais são misturas de princípios ativos, como pó feito de substâncias que criam uma espécie de liga através do amido ou goma arábica, além de outros componentes para a sua consistência, após serem compactados de cores e tamanhos variados.

Normalmente, este formato de medicação é absorvido ainda no estômago, uma vez que de lá ele é levado até o local exato do desconforto, promovendo alívio e a disposição que o corpo precisa para se movimentar naturalmente.

Liberação prolongada

Os comprimidos de liberação prolongada têm o papel de emitir, de forma gradativa, ou seja, aos poucos, o princípio ativo do fármaco. Isso acontece da seguinte forma: com o passar das horas, a unidade medicamentosa vai liberando a sua atividade que, consequentemente, é absorvida lentamente pela corrente sanguínea. 

Drágeas

Também chamadas de comprimidos revestidos, as drágeas possuem uma película especial, sendo bem parecida com uma camada plástica que impede a degradação rápida dos componentes, medida que pode causar a perda da sua verdadeira função.

Na maioria dos casos, são utilizadas em terapias específicas, principalmente as mais extensas, que chegam a durar semanas. Atualmente, é possível encontrá-las em diversos fármacos. 

Pastilhas

As pastilhas são fórmula sólidas com formatos variados aliados de aromatizantes. Tais são mais aceitadas pela maioria dos pacientes pelo fato de se dissolverem lentamente na boca, o que também retarda a liberação do princípio ativo sobre a cavidade bucal, seguido de uma ação mais intensa sobre a região lesionada. 

Sublingual

Os comprimidos de administração via sublingual são utilizados abaixo da língua, sendo este um meio mais rápido de absorção quando comparado com os demais de consumo oral, já que precisam se desintegrarem, passar pelo fígado e só assim ser metabolizado.

Além disso, a medicação também permite uma maior ação, por conta de ser bem vascularizado, graças as veias localizadas abaixo da mucosa bucal, que são enviadas a jugular e, em seguida, a circulação. 

Comprimido de uso externo

Os medicamentos de uso externo fazem parte de uma variedade de produtos, se estendendo em xampus, loções, sabonetes e cremes. No entanto, uma fatia deste modelo são os supositórios, que são de uso retal, como no caso dos laxantes.

Neste exemplo, o fármaco é utilizado em pacientes inconscientes, com vômitos e incapacitados de deglutir. Aqueles que passaram por cirurgias ou precisam preparar o organismo para certos tipos de diagnósticos também são receitados o uso deste.

Comprimido vaginal

O comprimido vaginal é muito usado como contraceptivo, também chamado de anticoncepcional. Seu formato pode ser arredondado e de cor esbranquiçada, uma vez que o modo de administração é sempre via vaginal.

Neste exemplo, o profissional da saúde busca primeiro entender a real necessidade da mulher para só assim receitar a medicação, que sofre degradação ao entrar em contato com a mucosa íntima.

Efervescentes

Os comprimidos efervescentes podem variar de uma fórmula para a outra, mas substâncias como ácido orgânico e base carbonada são fáceis de serem encontrados neste tipo remédio.

Sua indicação possui a vantagem de ser absorvida mais rápida do que as tradicionais, ajudando principalmente os pacientes com uma certa dificuldade de engolir.

Ainda, algumas unidades, quando dissolvidas, oferecem um sabor agradável, o que disfarça aquele gosto amargo que muitos possuem.

Linha de Suplementos Adultos chegou! CentroActive

Dicas, tipos e como cuidar dos seus cabelos

Celulite: O que causa, como tratar e dicas para combatê-la

Tipos de Cápsulas

Mulher, aparentemente jovem, bebendo um copo de água, estando na imagem de forma desfocada, onde, em destaque, sua mão segura uma cápsula de coloração verde transparente.

Entre os tipos de cápsulas, podemos citar: duras, moles e as gastrointestinais.

Já as cápsulas são feitas de um material gelatinoso, o que seve para conservar o conteúdo interno. Além de ajudar na hora da deglutição no organismo. Na maioria dos casos, elas podem ser tanto sólidas quanto líquidas, sendo que podem variar de um fabricante para o outro.

Cápsulas duras

Geralmente, as cápsulas duras são constituídas de pura gelatina, o que facilita a sua degradação no organismo, medida que também protege os ingredientes ativos. 

Cápsulas moles

Também chamada de softgel, as cápsulas moles são feitas de películas de gelatina aliada de glicerina ou álcool poli-hídrico, fator este que sela o seu interior, visando a preservação dos princípios ativos. Na prática, o modelo é apropriado para acondicionar líquidos e géis.

Cápsulas gastrointestinais

Neste caso, as cápsulas gastrointestinais são encontradas tanto nas versões duras quanto moles, onde sua principal atividade busca resistir à ação do suco gástrico. Dessa forma, impossibilitando de ser absorvido ainda no estômago.

Isso porque a substância pode ser irritante para o órgão digestivo, devendo esta ser dissolvida no duodeno ou no jejuno.

Assim, em meio a estas dicas, a partir de agora você terá menos dúvidas na hora de administrar alguns remédios, evitando enganos e imprevistos.

Entendeu as diferenças entre comprimidos, cápsulas  e drágeas? Caso tenha mais perguntas, não se esqueça de consultar o profissional da saúde na próxima visita.

Este conteúdo foi formulado e desenvolvido, sob supervisão técnica da farmacêutica responsável: Dra. Daniela S. Dávida - CRF/SP 47.916. Não devendo as informações obtidas aqui, serem utilizadas como substitutas ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Tags:
, , , ,