Afinal, por que não pode Glúten?

Fundo marrom com um logo no centro, redondo, branco e com a frase "este conteúdo não contém glúten".
ATENÇÃO: este conteúdo não contém glúten.

Muito se pergunta sobre o glúten fazer mal ou não à saúde e nos últimos anos diversas marcas de alimentos estamparam este selinho acima em suas embalagens. Em pouco tempo, a ausência da proteína tornou-se sinônimo de alimentação saudável, entrando em diversas dietas restritivas, principalmente quando o objetivo era emagrecer. Mas, será mesmo que o glúten faz mal? Antes de responder a essa pergunta, a Drogaria Nova Esperança te explica.

O que é o glúten?

Glúten é uma proteína formada por outros dois compostos, a glutenina e a gliadina. Somados, formam esse nutrimento

Encontrado em cereais como a cevada, o centeio e o trigo, o glúten é uma proteína formada por outros dois compostos, a glutenina e a gliadina. Somados, formam esse nutrimento, que é da a consistência flexível aos alimentos, gerando semelhança a cola, assim como a massa criada com farinha de trigo. Sendo assim, a presença dela é natural em diversos alimentos.

Por que ele existe?

Como falado anteriormente, o glúten é uma junção de dois compostos. A gliadina é uma proteína monomérica, formada por uma única cadeia polipeptídica e baixo poder elástico. Solúvel em solução alcoólica e dispersa em glutenina, ela é responsável pela extensibilidade da substância. Por sua vez, insolúvel tanto em álcool como em água, mas solúvel mediante acidez, a glutenina possui baixa extensão e alta elasticidade, sendo essencial pela formação do glúten. Logo, é uma proteína natural dos alimentos que se forma a partir da junção destas duas outras proteínas.

O que contém glúten?

Todos os alimentos que apresentam em sua composição são formulados a partir de trigo, cevada ou centeio. Com isso podemos citar exemplos como bolachas, biscoitos, bolos, pães, torradas, macarrão, massa de pizza, cerveja, whisky e até medicamentos. Em suas bulas, é possível você encontrar a substância na composição do fármaco. Para saber mais sobre o documento, acesse o link.

Glúten engorda?

O alimento não causa aumento do peso só pela presença do glúten, mas sim, porque dentre seus ingredientes também há gordura e sal. Fora isso, engordar ao consumir a proteína poderá ser consequência do consumo em excesso, ou da combinação com itens como geleia ou manteiga.

Muitas pessoas fazem a dieta da alimentação livre de glúten com o objetivo de emagrecer e isso acaba acontecendo por consequência de remover da rotina alimentar, comidas muito calóricas e pouco saudáveis, melhorando a qualidade da ingestão nutricional diária.

Ácido Hialurônico: o que é, tipos e benefícios

O dobro de atenção, os cuidados com a pele tatuada

Frutas: sua importância e seus benefícios

Como substituí-lo?

Além de já existir diversos alimentos tradicionais sem glúten (como pães e macarrão), pode-se adicionar outros itens na alimentação para quem deseja eliminar a proteína do organismo. Dentre esses alimentos podemos citar tapioca, pão de queijo, batata doce, couve-flor, berinjela e tortilhas de milho. Além desses, existem outras opções e para isso, o nutricionista será fundamental para a melhor elaboração de dieta livre desta proteína.

Quanto tempo demora para sair do organismo?

Por ser uma proteína, o processo de digestão começa no estômago e ao chegar no intestino delgado é absorvido em partículas até chegar nas células através da corrente sanguínea. Sua absorção é complexa, mas é considerada normal para o organismo. Dificuldades na absorção desta proteína, como em casos de Doença Celíaca que indica reação inflamatória do intestino por glúten, é a única forma da alteração de tempo de absorção, caso contrário, o processo de digestão é considerado normal.

Como saber se eu sou intolerante ao glúten?

Fundo branco com a frase em azul e vermelho: "intolerância ao glúten". Abaixo, temos vetores com os sintomas: enxaqueca, gases, inchaço, tontura e dor.

Muitas pessoas apresentam sintomas adversos ao consumir glúten e eles podem alertar para intolerância à essa proteína. Manifestações como excesso de gases, dor no estômago, diarreia ou prisão de ventre, enxaqueca, dor muscular e coceira, normalmente são relatadas por pacientes. Quando grave, essa intolerância pode desencadear Doença Celíaca, como citado anteriormente.

A melhor forma de diferenciar se os sintomas são causados por outros motivos ou pela ingestão do glúten é exatamente observar o que foi ingerido anteriormente. Caso os sintomas apareçam após o consumo de bolos, massas, pães ou bebidas como cerveja, pode haver intolerância.

Como interpretar exame de intolerância ao glúten?

Desconfiados de que os sintomas apresentados possam apontar intolerância ao glúten, os médicos solicitaram exames de sangue realizados em jejum para verificar a resposta e a sensibilidade do organismo a certos alimentos. Normalmente os exames pedidos são anti-endomisio, trasglutaminase tecidual, gliadina e o estudo molecular DQ2 e DQ8 e somente apontarão o diagnostico se feitos juntos, pois sozinhos apresentam oscilações de resultados. A resposta normalmente indicará Doença Celíaca e a descoberta não é fácil, necessitando de uma análise mais complexa da pré-disposição do perfil de cada indivíduo.

Conclusão

Portanto, o glúten não faz mal à saúde, afinal, seu consumo não prejudica o desenvolvimento ou funcionamento do organismo de indivíduos normais e saudáveis. Quando administrado de maneira correta e equilibrada, com orientação de um nutricionista, exames rotineiros em dia e hábitos saudáveis, ele não é vilão de nenhum intestino.

Este conteúdo foi formulado e desenvolvido, sob supervisão técnica da farmacêutica responsável: Dra. Daniela S. Dávida - CRF/SP 47.916. Não devendo as informações obtidas aqui, serem utilizadas como substitutas ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.

Tags:
, , , , ,