Dados de letras coloridas formando a palavra "Diabetes" ao lado de cubos de açúcar.

Vivendo com Diabetes: o que é, sintomas e os seus tipos

O diabete, a diabete, o diabetes ou a diabetes? O nome da doença no qual iremos nos aprofundar neste texto pode ser chamada de forma gráfica variante, ou seja, possui uma ou mais formas de escrever corretamente. Tanto usando gênero feminino ou masculino, em forma de plural ou singular, a escrita e fala da patologia pode se distinguir. Entretanto, sempre há uma forma mais utilizada, sendo neste caso, o diabetes.

Conhecida por todos estes nomes, o termo oficial médico usado para definir a doença, é o Diabetes mellitus. Este termo ao ser separado tem como significado: diabetes = “fluindo por” e mellitus = “doce como mel”. Assim definido pelo processo de verificação de açúcar na urina, como era diagnosticado anteriormente.

Com esta grande variação de como pronunciar o nome da doença, não podemos deixar de lado o principal motivo desse post, pois afinal, o que é a Diabetes?

O que é Diabetes?

É um conjunto de doenças provocadas pela falta ou má absorção de insulina pelo pâncreas, assim o corpo torna-se incapaz de aproveitar e utilizar a glicose adquirida como energia para o organismo. Tal hormônio é de suma importância para o correto funcionamento do corpo por ser o responsável em quebrar as moléculas de açúcar e fazer com que entre nas células, assim tornando-se uma fonte de energia. Porém, quando se encontra deficiente de tal substância, é provocado aumento de glicose no sangue e daí, o surgimento de diabetes e seus diferentes tipos.

Tipos de Diabetes

Mesmo quando empregada de forma singular, a palavra é responsável por definir um grupo com vários tipos da doença que podem acometer crianças, jovens, adultos, idosos, homens e mulheres. Logo abaixo, você confere os diferentes tipos de Diabetes:

Pré-Diabetes

Apontada como um tipo de alarme de risco ao surgimento real da doença em seu tipo 2, a Pré-Diabetes é definida quando os níveis de açúcar no sangue estão altos, mas não atingiram uma quantidade definida para provocar um diagnóstico da patologia. Geralmente detectada em obesos e idosos, esse tipo é empregado para evitar o desenvolvimento da Diabetes. Tornando-se necessário realizar um tratamento de cuidado e prevenção para que não ocorra de surgir complicações maiores.

Diabetes Tipo 1

Mesmo sendo denominado como tipo 1, esta categoria não é a que mais ocorre em pacientes diabéticos, surgindo apenas em 5 a 10% dos pacientes que sofrem com tal complicação. Esta forma da doença é detectada quando há um defeito no sistema imunológico, provocando a perda da capacidade do pâncreas de produzir insulina. Com este problema, os anticorpos do corpo atacam as células e assim, acarretando sua deficiência.

Diabetes Latente Autoimune do Adulto (LADA)

Também chamada de “Diabetes 1.5”, a LADA é derivada do Tipo 1, porém ela inicia em pacientes durante sua fase adulta, ao contrário de sua antecessora que, normalmente, afeta menores de 18 anos.

Diabetes Tipo 2

Esta sim atingindo cerca de 90% das pessoas com Diabetes, segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, a Diabetes Tipo 2 é causada quando há incapacidade do organismo em produzir insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia ou quando esta insulina não é utilizada de forma adequada.

Diabetes Gestacional

Assim como seu nome já pressupõe, este tipo de Diabetes específico é provocado em mulheres durante sua gravidez. Ela surge devido ao seu corpo não sofrer alterações necessárias em seu pâncreas para manter o equilíbrio hormonal. Quando não tratada, a patologia pode provocar danos ao feto, além de partos traumáticos e problemas futuros ao bebê.

Diabetes Tipo 3

Sendo menos diagnosticada que as demais e assim tornando-se menos conhecida, o tipo 3 da Diabetes está relacionada com a resistência criada pelo corpo à insulina apenas na região do cérebro, sendo causada pela doença de Alzheimer.

Sintomas

De forma geral, abrangendo os variados tipos da doença, os sintomas mais comuns entre elas são: fome, sede excessiva e vontade de urinar constante, segundo dados do Ministério da Saúde. Porém, cada forma de Diabetes possui sintomas próprios além dos mencionados acima, estes sendo descritos logo abaixo:

– Perda de peso, fraqueza, fadiga, náusea, vômito e mudanças de humor são específicas em pessoas com Diabetes tipo 1;

– Infecções na bexiga, rins e pele, feridas que demoram para cicatrizar e visão embaçada são sinais de pacientes com Diabetes tipo 2.

– Aumento de apetite, visão turva e boca seca são sintomas destacados em mulheres grávidas associadas à Diabetes gestacional.

O que causa?

Mulher roendo as unhas demonstrando preocupação disposta atrás de uma mesa repleta de doces.

Como são diferentes, cada problema possui sua causa determinada e em alguns tipos específicos, ela é desconhecida, assim como no tipo 1. Já na Diabetes tipo 2, geralmente está relacionado a obesidade, sedentarismo e uma dieta alimentar inadequada.

Por isso, a fim de evitar o surgimento de ambas as doenças, é recomendado por médicos e especialistas que adote uma alimentação adequada, além de realizar a prática de exercícios físicos.

Como tratar?

Antes de iniciar um tratamento de Diabetes, é recomendado que busque a ajuda de um médico para que ele lhe guie e indique as melhores formas de realizar tal procedimento de forma segura para seu corpo.

Geralmente, como dito anteriormente, além de ajudar a prevenir, a ingestão de uma dieta adequada e a realização de práticas físicas auxiliam no tratamento e manutenção de tais complicações.

O tipo 1 da Diabetes deve ser tratado com a aplicação de insulina no tecido subcutâneo, abaixo da pele. De forma injetável, assim denominada como insulinodependente, assim repondo a falta do hormônio em seu organismo.

Já o tipo 2 depende do uso de medicamentos que são capazes de agir em seu organismo, lhe proporcionando a necessidade de cada paciente. Os remédios utilizados no tratamento são responsáveis por estimular a produção de insulina pelo pâncreas e impedir a absorção de carboidratos no intestino.

Em ambos, são recomendados o uso de aparelhos medidores de glicose, também chamados de glicosímetros, pois são capazes de realizar a medição do nível de açúcar no sangue com rapidez, segurança e facilidade.

Diabetes tem cura?

Falando friamente através da óptica médica, o Diabetes não tem cura até hoje. O que ocorre geralmente, é a perda de peso e a capacidade do paciente em controlar o açúcar no sangue. Assim diminuindo os sintomas e sendo capaz de controlar a doença. Porém, caso haja um descontrole na alimentação, gravidez ou outra situação na qual possa interferir em seu organismo, é possível que os dados diabéticos voltem a aparecer em seu sangue.

Vivendo com Diabetes

Pessoa segurando um lancetador medidor de glicose e realizando tal procedimento em seu dedo.

Sabe-se que, ao ser diagnosticado com tal problema, muitas coisas em sua vida devem se adaptar a ela para mantê-la controlada e que ela não afete sua saúde física e mental. Por isso, o ideal é que busque um médico especialista e, no caso da Diabetes, por ser uma doença de massa, deve-se buscar um clínico geral. Porém, caso deseje dar continuidade em um tratamento, o ideal é buscar um endocrinologista.

Sendo mencionado anteriormente, o ideal para se viver com Diabetes é manter o controle da doença, medindo em curtos períodos seu nível de glicose no sangue. Além de, realizar dietas saudáveis adequadas e por fim, caminhadas e/ou exercícios que possam ajudar a manter um peso adequado.

Dieta para diabéticos

O caminho para manter uma dieta equilibrada e a manutenção da doença é, primeiramente, evitar o que pode comprometer seu tratamento. Além do consumo excessivo, devem-se evitar: frituras, sal, pão francês, frutas em forma de suco e claro, a absorção em grandes quantidades de açúcar.

Normalmente, recomenda-se que faça pequenas refeições de 3 em 3 horas. Assim mantendo os níveis de glicose controlados e evitando realizar grandes alimentações em períodos mais longos. A refeição ideal para um diabético deve conter feijão, milho, frutas, vegetais, peixe, sementes, frutos secos, leite e outros compostos associados a estes.

Aparelho de medir Diabetes

Administrado através de lancetas, lancetadores e um monitor, os aparelhos de glicose são essenciais para conseguir manter um equilíbrio dos seus níveis de açúcar. Através de uma “pequena espetada”, o produto é capaz de realizar tal medição e aqui, na Drogaria Nova Esperança, você confere um dos melhores preços desta categoria. Acesse nossa loja digital e garanta já o seu!